LEI Nº 1.334/2005 – Usina Lixo

0
268

LEI Nº  1.334/2005

DE    26 / 10 /2005

Dispõe sobre desapropriação de área de terreno rural para construção de usina reciclagem e compostagem de lixo urbano.

 

O povo do município de Capelinha, Estado de Minas Gerais, por seus representantes legais na Câmara Municipal, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

 

Art. 1º – Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a proceder desapropiação de área de terreno rural dea fração correspondente a 06,0000 (seis hectares) do terreno rural denominado Fazenda Paraná, de propriedade da ACESITA S.A., localizado neste Município de Capelinha, Estado de Minas Gerais e compreendido em perímetro de 1.145,72 m (um mil, cento quarenta e cinco metros e setenta dois centímetros), extremando ao norte com Acesita S.A. e Manoel Gracilio Froes; ao sul com a rede Elétrica e a estrada de Capelinha ao Povoado de Contrato; a leste com ACESITA S.A. e a oeste com Manoel Gracílio Froes e observando o seguinte memorial descritivo: Inicia-se a descrição do perímetro pelo vértice P1, cravado na divisa de Manoel Gracilio Froes com rede elétrica e estrada que liga Capelinha ao Povoado de Contrato, pelas suas coordenadas UTM, E 758229,94 M e N 8041615,00 M, ambas referenciadas ao datum SAD 69,  deste com distância de 21,22m e azimute verdadeiro de 283° 37 48,63″ chega-se ao vértice P2; confrontando-se com MANOEL GRACILIO FROES por cerca de arame liso, deste com distância de 195,86m e azimute verdadeiro de 281° 11 13,78″ chega-se ao vértice P3; confrontando-se com MANOEL GRACILIO FROES por cerca de arame liso, deste com distância de 75,18m e azimute verdadeiro de 326° 55 53,05″ chega-se ao vértice P4; confrontando-se com MANOEL GRACILIO FROES divisa com ACESITA S.A.,  deixa a cerca e segue por picada no eucalipto, com distância de 173,89m e azimute verdadeiro de 336° 56 39,06″ chega-se ao vértice P5; confrontando-se com ACESITA S.A., saindo da picado no eucalipto e seguindo a rede elétrica na estrada de Capelinha ao Povoado de Contrato, deste com distância de 493,25m e azimute verdadeiro de 107° 56 53,65″ chega-se ao vértice P6; confrontando-se com a rede elétrica da estrada de Capelinha ao Povoado de Contrato, deste com distância de 186,32m e azimute verdadeiro de 232° 16 32,83″ chega-se ao vértice P7 que é o ponto de fechamento da poligonal.

Art. 2º. O Poder Executivo deverá envidar esforços para concretizar a desapropriação pela via amigável, assumindo a condição de retornar o imóvel desapropriado à sua legítima proprietária caso as obras não sejam iniciadas em 24 (vinte e quatro) meses contados da data em que for efetivada a desapropriação.

Art. 3º Fica o Poder Executivo autorizado a utilizar dotações próprias do Orçamento Municipal para efetuar o pagamento decorrente do ato de desapropriação, em valor praticável no mercado imobiliário do município, a título de indenização à ACESITA S.A.

Parágrafo único – O valor da indenização a ser paga  a ACESITA S.A. pela desapropriação de que trata o artigo 1º desta lei, poderá ser de até R$ 6.000,00 (seis mil reais).

Art. 3º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Capelinha, 26 de outubro de 2005.

 

 

 

Ivan Gilson Pimenta de Figueiredo

Prefeito Municipal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui